Por onde “andam” as plataformas digitais de trabalho?

Por Ana Claudia Moreira Cardoso e Lúcia Garcia | A adoção de uma legislação favorável às empresas-plataforma pode significar o reconhecimento legal da existência de “trabalhadores/as de segunda classe” e consagrar a figura do/a “empreendedor/a de si mesmo”… >>

0
Creators são trabalhadores

Por Michael Siciliano | Os creators do YouTube e outros produtores de conteúdo devem ser considerados empregados e não contratados independentes?… >>

0