Vidas importam — e a austeridade mata

Por Redação Outras Palavras | Como enfrentar Bolsonaro sem combater a agenda de Guedes? Economistas, profissionais de Saúde e especialistas de diversas áreas frisam que sem supera “austeridade” não será possível combater a pandemia e garantir o isolamento social… >>

0
O que esperar de 2021?

Por Paulo Kliass | Caso não sejam aceitos os argumentos relativos à premência de adoção de medidas contracíclicas por parte do Estado, há sério risco de eclosão de revoltas generalizadas… >>

0
Austeridade, o grande dogma a ser combatido

Por Paulo Kliass | Em todo o mundo, cresce a ideia de que, para sair da recessão, Estado terá que aumentar gastos públicos para retomar o crescimento. Já no Brasil, elites podem até rifar Bolsonaro, desde que programa destruidor de Guedes saia incólume…… >>

0
O Brasil flerta com um terraplanismo econômico

Por David Deccache e Gustavo Noronha | O que o povo brasileiro precisa na atual crise é que o governo federal não tenha medo de gastar o que for necessário, não apenas no combate direto à pandemia, como, também, naquilo que for preciso para que o trabalhador não perca sua renda… >>

0
“Austeridade” para quem?

Por Paulo Kliass | Congresso retomará atividades com a “reforma” administrativa. A pretexto de “sanear finanças”, reduzem-se salários de servidores e extinguem-se políticas públicas. Mas obsessão é seletiva – em um ano, já foram R$ 178 bi em juros da dívida pública… >>

0
Como a França amplia a revolta global

Por Gabriel Rockhill | Greve geral alastra-se, transborda sindicatos e coloca em xeque o governo Macron. Ao defender aposentadorias, manifestantes rechaçam lógica da mercantilização… >>

0
Um trilhão para o Guedes

Por Paulo Kliass | O trilhão do Guedes está ali à sua disposição. Esse verdadeiro objeto de desejo do ministro pode ser alcançado, sem que se lance mão das maldades previstas na reforma da previdência… >>

0
A mágica fajuta para sair da crise

Por Paulo Kliass | Destruir a previdência social e diminuir o volume de recursos transferidos sob a forma dos benefícios previdenciários não vai melhorar em nada a capacidade de consumo agregado para justificar os investimentos tão necessários… >>

0
Seriam os economistas imbecis?

Por David Deccache | Por que continuam a aplicar os mesmos “remédios”, após seguidos fracassos? A resposta está na “terapia de choque”. Quanto mais doente, menos a sociedade reagirá às “reformas” que tornam país ainda mais desigual… >>

0