Educação e qualificação para o trabalho: um breve diagnóstico da formação dos trabalhadores metropolitanos segundo a PED e sua pesquisa suplementar de 2008

Mario Marcos Sampaio Rodarte
Eduardo Miguel Schneider
Lúcia dos Santos Garcia

[divide]

Fonte: Bahia Análise & Dados, Salvador, v. 21, n. 2, p. 417-432, abr./jun. 2011.

[divide]

Resumo: O estudo propõe subsidiar a reflexão sobre a centralidade da formação do trabalhador, seja pela escolarização, seja pela qualificação profissional, no atual contexto do mercado de trabalho. Para tanto, utilizou-se os dados da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) e da sua pesquisa suplementar sobre o Sistema Público de Emprego, Trabalho e Renda, particularmente explorando o tema da qualificação profissional. O recorte espacial corresponde às localidades investigadas há mais tempo pelo Sistema PED, que abarca o Distrito Federal e as regiões metropolitanas de São Paulo, Porto Alegre, Belo Horizonte, Salvador e Recife. Os dados referem-se ao período que se estende de maio a outubro de 2008, quando a pesquisa suplementar esteve em campo.

[divide]

Sumário: Introdução | Qualificação profissional e mercado de trabalho | A abordagem da qualificação profissional pela perspectiva da renda familiar per capita | A qualificação profissional, segundo a PED | A dimensão da qualificação profissional | Qualificação profissional e mercado de trabalho | Considerações finais | Notas | Referências

[divide]

Introdução

Este texto objetiva subsidiar a reflexão sobre a centralidade da qualificação profissional no atual contexto do mercado de trabalho. Para tanto, utiliza os resultados da pesquisa suplementar sobre qualificação profissional no Distrito Federal e em cinco regiões metropolitanas do país (Recife, Salvador, Belo Horizonte, São Paulo e Porto Alegre), realizada pela Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), com metodologia desenvolvida pelo Dieese e Seade/SP.

Nesta pesquisa, a qualificação profissional está situada como um dos programas do Sistema Público de Emprego, Trabalho e Renda, objeto de levantamento do bloco suplementar da PED das regiões metropolitanas, aplicado entre maio e outubro de 2008.

A partir dos cruzamentos do questionário da pesquisa suplementar de 2008 com o questionário básico da PED, é possível tratar de aspectos tais como a demanda social potencial por qualificação (presente no conjunto da população que não participa dos cursos), os desafios da qualificação (como os limites financeiros, a disponibilidade de tempo) e as questões do acesso aos cursos e programas de qualificação profissional referentes aos motivos da não qualificação.

Deve-se, contudo, ressaltar que o presente estudo tem um caráter mais exploratório das informações levantadas e não tem, portanto, o objetivo de esgotar o tratamento desses temas. Ao aportar informações sobre os possíveis impactos dos programas de qualificação sobre o mercado de trabalho, o texto concorre para a formulação de uma agenda de pesquisa de produção de subsídios no campo da formulação de políticas públicas para a qualificação da força de trabalho.

Este artigo está estruturado em três capítulos, além desta introdução e das considerações finais. No primeiro capítulo, busca-se traçar os principais antecedentes que permitem referenciar e contextualizar teoricamente o tema da qualificação profissional em pesquisas domiciliares e no mercado de trabalho. Já o segundo capítulo dedica-se à apresentação da abordagem analítica da qualificação profissional a partir do recorte de renda familiar per capita. Por fim, o terceiro capítulo realiza, em um primeiro momento, a análise de algumas das principais dimensões da qualificação profissional para, em seguida, debruçar-se sobre a relação da qualificação com os principais indicadores do mercado de trabalho.

Clique aqui para continuar a leitura deste artigo na biblioteca digital Scribd

[divide]

Mario Marcos Sampaio Rodarte é doutor em Demografia e mestre em Economia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Professor adjunto do Departamento de Ciências Econômicas e pesquisador do Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional da UFMG no âmbito de História Econômica e Demográfica; coordenador da Pesquisa de Emprego e Desemprego da Região Metropolitana de Belo Horizonte (PED-RMBH).

Eduardo Miguel Schneider é mestre em Economia do Desenvolvimento pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS); especialista em Gestão Pública Participativa pela Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS). Coordenador da Pesquisa de Emprego e Desemprego na Região Metropolitana de Porto Alegre (PED-RMPA).

Lúcia dos Santos Garcia é graduada em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRS). Coordenadora técnica do Sistema de Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), pelo Departamento Intersindical de Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *