Brasil só cria vagas de emprego com remuneração de até um salário mínimo, apontam dados do Ministério do Trabalho

Levantamento do Ministério do Trabalho e Previdência Social aponta que, pelo menos desde 2015, a criação de empregos formais no Brasil está se restringindo às faixas salariais de até um salário mínimo. Em 2014, houve saldo positivo de vagas com remuneração de até 1,5 salário.

Em maio deste ano, houve o fechamento de 72,6 mil vagas no País, segundo o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). Nos cinco primeiros meses do ano, um total de 448,1 mil vagas foram fechadas. Mas dentro da faixa salarial de meio a um salário mínimo, única a apresentar saldo positivo de postos de trabalho, foram geradas 96,5 mil vagas até maio.

Já as faixas salariais que mais fecharam vagas em 2014 foram as de 1,51 a 2 salários e de 2,01 a 3 salários. Em 2015 o cenário se repete. Já em 2016, as faixas com maior saldo negativo até maio são de 2,01 a 3 salários e de 3,01 a 4 salários.

Setores

De acordo com o Ministério do Trabalho, os setores que tiveram saldo positivo de vagas no último mês do Caged dentro da faixa salarial de até 1,5 salário mínimo foram agropecuária, extração vegetal, caça e pesca (40.653 vagas abertas), indústria da transformação (9.190 vagas) e serviços (2.012).

[gap]

Fonte: O Sul, com O Globo
Data original da publicação: 20/07/2016

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *