Autogestão no Brasil: um olhar a partir do caso de empresas recuperadas pelos trabalhadores

Autor: Fabio Sousa Mendonça de Castro
Orientadores: Adilson Marques Gennari e Henrique Tahan Novaes
Ano: 2015
Tipo: Dissertação de Mestrado
Instituição: Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”. Faculdade de Ciências e Letras. Programa de Pós-Graduação em Economia da Faculdade de Ciências e Letras
Repositório: Repositório Institucional UNESP
Resumo: A crise, proveniente das políticas socioeconômicas neoliberais, que foram hegemônicas em grande parte da América Latina, nos anos de 1990 e 2000, levou à falência um série de empresas que não puderam competir na conjuntura proposta, promovendo o desemprego em massa e degradação das condições de trabalho. Em resposta a este cenário, grupos de trabalhadores buscaram condições dignas através de uma proposta de democratização das relações de trabalho: a recuperação da massa falida das empresas em que trabalhavam sob o controle operário. Este fenômeno, que apesar de não ter grande representatividade em volume, representa um importante movimento da luta por autogestão no microcosmo produtivo e exercita uma nova relação social dentro do sistema capitalista, capaz de sobreviver às suas regras de mercado e ainda assim promover o debate crítico ao modo de produção. Neste sentido, esta pesquisa apresenta uma conceptualização e uma contextualização da autogestão como luta dentro do sistema capitalista, para compreender, a partir de coleta de dados, o que elas sinalizam em termos de propriedade coletiva dos meios de produção, da socialização do poder aos trabalhadores, a sua relação com movimentos sociais e como atuam nas suas comunidades na luta pela redução das desigualdades socioeconômicas.
Arquivo: Acesse aqui o texto completo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *