Sequestros de bancários e seus impactos psicossociais na saúde do trabalhador

Autora: Graziella Ferrari de Medeiros
Orientador: Sergio Roberto de Lucca
Ano: 2015
Tipo: Dissertação de Mestrado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas. Faculdade de Ciências Médicas. Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva
Repositório: Biblioteca Digital da Unicamp
Resumo: Esse estudo busca compreender um tipo de violência específica que atinge um número cada vez maior de bancários, que é o sequestro de funcionários e seus familiares para retirar o dinheiro diretamente dos cofres dos Bancos Financeiros. O trabalhador vitima do sequestro apresenta transtornos mentais graves após a ocorrência desse tipo de violência comprometendo seu desempenho profissional e psicossocial. Cabe ressaltar que o cenário atual do setor bancário apresenta uma organização precária devido ao intenso processo de reestruturação do trabalho, intensificado a partir dos anos 90, com objetivo de adaptação ao mercado financeiro altamente competitivo, impactando diretamente na saúde ocupacional dessa população. Os principais Transtornos Mentais e Comportamentais verificados nos afastamentos de bancários segundo as estatísticas da Previdência Social são: depressão, transtorno de adaptação e transtorno de estresse pós-traumático (TEPT). O desenvolvimento dessa pesquisa se deu a partir de entrevistas em profundidade com quatro bancários vítimas de sequestro e foram compreendidas a partir do referencial metodológico da análise de conteúdo. Os resultados obtidos demonstram o impacto psicossocial negativo do sequestro na vida das vitimas agravadas pelo inadequado manejo destas ocorrências contribuindo para as manifestações de transtornos psíquicos após o evento traumático. Com esse estudo, espera-se contribuir para o desenvolvimento de intervenções nas práticas organizacionais, na preservação da segurança e saúde dos trabalhadores bancários. A gravidade desse tipo de violência ao trabalhador deve também receber maior atenção da Saúde e Segurança Pública.
Arquivo: Acesse aqui o texto completo
Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *