Maioria das assembleias aprova proposta de 8% e encerra greve nacional

Seguindo orientação do Comando Nacional dos Bancários, coordenado pela Contraf-CUT, a grande maioria das assembleias realizadas na sexta-feira, 11, em todo o país aprovou a proposta da Fenaban, assim como os acordos específicos do Banco do Brasil e da Caixa, encerrando a maior greve da categoria nos últimos 20 anos, com 23 dias de duração.

A proposta dos bancos eleva para 8,0% (aumento real de 1,82%) o índice de reajuste sobre os salários e demais verbas, para 8,5% sobre o piso salarial (ganho real de 2,29%) e 10% sobre o valor fixo da regra básica e sobre o teto da parcela adicional da PLR (Participação nos Lucros e Resultados). Também aumenta de 2% para 2,2% o lucro líquido a ser distribuído linearmente na parcela adicional da PLR e avança em outras reivindicações econômicas e sociais.

A nova proposta da Fenaban, apresentada no 22º dia da greve e após 18 horas de duras negociações, avançou depois que os bancos recuaram da proposição inicial de compensar todos os dias de greve em 180 dias, aceitando compensar no máximo uma hora extra diária, de segunda a sexta-feira, até 15 de dezembro – a partir da assinatura do acordo.

Ela inclui ainda quatro novas cláusulas: proibição de os bancos enviarem SMS aos bancários cobrando resultados, abono-assiduidade de um dia por ano, constituição de grupo de trabalho com especialistas para apurar as causas dos adoecimentos dos bancários e adesão ao programa de vale-cultura do governo, no valor de R$ 50,00 por mês.

Vitória da mobilização, da ousadia e da unidade

“Os bancários estão de parabéns. Deram mais uma grande demonstração de força, dobrando a intransigência dos bancos, que este ano tinham a estratégia clara de acabar com os aumentos reais e rebaixar conquistas para reduzir custos, de vencer os bancários pelo cansaço e de punir os grevistas com o desconto dos dias parados. Foi a vitória da mobilização, da ousadia e da unidade”, avalia Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT e coordenador do Comando Nacional.

Levantamento feito pela Contraf-CUT até as 23h da sexta-feira indica que a maioria das assembleias aprovou tanto a proposta dos bancos quanto os acordos específicos do BB e da Caixa. Algumas bases sindicais realizarão assembleias na segunda-feira, 14, e alguns bancos regionais continuam paralisados.

Encerraram a greve:

São Paulo

Rio de Janeiro – nova assembleia da Caixa na segunda

Belo Horizonte

Pernambuco

Curitiba

Bahia – continua greve na Caixa e BNB

Ceará – continua greve no BB, Caixa e BNB

Piauí

Paraíba – continua greve no BNB

Sergipe – continua greve no BNB

Bahia – continua na Caixa e BNB

Mato Grosso – continua greve na Caixa

Londrina

Campo Grande

Alagoas – continua greve no BNB

Campinas

ABC

Araraquara

Assis

Barretos

Bragança Paulista

Catanduva

Limeira

Mogi das Cruzes

Presidente Prudente

Vale do Ribeira

Taubaté

Petrópolis

Angra dos Reis

Caxias do Sul – greve continua no Banrisul

Rondônia

Amapá

Criciúma

Joaçaba

São José do Rio Preto

Sorocaba

São José dos Campos

Guaratinguetá

Araçatuba

Ribeirão Preto

São Carlos

Franca

Jaú

Tupã

Votuporanga

Presidente Wenceslau

Campos de Goytacazes

Itaperuna

Apucarna

Arapoti

Campos Mourão

Cornélio Procópio

Guarapuava

Toledo

Umuarama

Paranavaí

Jacobina

Feira de Santana – continua BB, Caixa e BNB

Ilhéus – continua BB e BNB

Itabuna

Jequié

Vitória da Conquista – continua BB, Caixa e BNB

Barreiras – continua Caixa e BNB

Juazeiro – continua Caixa e BNB

Camaçari – continua BB e BNB

Dourados

Ipatinga

Uberaba

Divinópolis

Campos dos Goytacazes

Itaperuna

Passo Fundo – greve continua no Banrisul

Ijuí – greve continua no Banrisul

Alegrete – greve continua no Banrisul

Novo Hamburgo – greve continua no Banrisul

Horizontina – greve continua no Banrisul

Guaporé – greve continua no Banrisul

São Luiz Gonzaga – greve continua no Banrisul

Vacaria – greve continua no Banrisul

São Borja – greve continua no Banrisul

Santa Rosa – greve continua no Banrisul

Carazinho – greve continua no Banrisul

Livramento – greve continua no Banrisul

Araranguá

Bagé

Bento Gonçalves

Cachoeira do Sul – continua Banrisul

Camaquã – continua na Caixa

Frederico Westphalen – continua Banrisul

Rio Grande

Santiago

São Gabriel

São Luiz Gonzaga

Concórdia – continua no BB e na Caixa

Chapecó – continua no BB e na Caixa

Criciúuma

São Miguel do Oeste – continua BB e Caixa

Assembleias na segunda-feira:

Brasília, Porto Alegre, Pará, Acre, Guarulhos, Blumenau, Santa Maria (RS), Pelotas (RS) e Litoral Norte (RS).

Plenária:

Florianópolis

A proposta da Fenaban

> Reajuste: 8,0% (1,82% de aumento real).

> Pisos: Reajuste de 8,5% (ganho real de 2,29%).

– Piso de portaria após 90 dias: R$ 1.148,97.

– Piso de escriturário após 90 dias: R$ 1.648,12.

– Piso de caixa após 90 dias: R$ 2.229,05 (que inclui R$ 394,42 de gratificação de caixa e R$ 186,51 de outras verbas de caixa).

> PLR regra básica: 90% do salário mais valor fixo de R$ 1.694,00 (reajuste de 10%), limitado a R$ 9.087,49. Se o total apurado ficar abaixo de 5% do lucro líquido, será utilizado multiplicador até atingir esse percentual ou 2,2 salários (o que ocorrer primeiro), limitado a R$ 19.825,86.

> PLR parcela adicional: aumento de 2% para 2,2% do lucro líquido distribuídos linearmente, limitado a R$ 3.388,00 (10% de reajuste).

> Antecipação da PLR até 10 dias após assinatura da Convenção Coletiva: na regra básica, 54% do salário mais fixo de R$ 1.016,40, limitado a R$ 5.452,49. Da parcela adicional, 2,2% do lucro do primeiro semestre, limitado a R$ 1.694,00. O pagamento do restante será feito até 3 de março de 2014.

> Auxílio-refeição: de R$ 21,46 para R$ 23,18 por dia.

> Cesta-alimentação: de R$ 367,92 para R$ 397,36.

> 13ª cesta-alimentação: de R$ 367,92 para R$ 397,36.

> Auxílio-creche/babá: de R$ 306,21 para R$ 330,71 (para filhos até 71 meses). E de R$ 261,95 para R$ 282,91(para filhos até 83 meses).

> Requalificação profissional: de R$ 1.047,11 para R$ 1.130,88.

> Adiantamento emergencial: Não devolução do adiantamento emergencial de salário para os afastados que recebem alta do INSS e são considerados inaptos pelo médico do trabalho em caso de recurso administrativo não aceito pelo INSS.

> Gestores ficam proibidos de enviar torpedos aos celulares particulares dos bancários cobrando cumprimento de resultados.

> Abono-assiduidade (novidade): 1 dia de folga remunerada por ano.

> Vale-cultura (novidade): R$ 50,00 mensais para quem ganha até 5 salários mínimos, conforme Lei 12.761/2012.

> Prevenção de conflitos no ambiente de trabalho: Redução do prazo de 60 para 45 dias para resposta dos bancos às denúncias encaminhadas pelos sindicatos, além de reunião específica com a Fenaban para discutir aprimoramento do programa.

> Adoecimento de bancários: Constituição de grupo de trabalho, com nível político e técnico, para analisar as causas dos afastamentos.

Compromissos

> Inovações tecnológicas: Realização, em data a ser definida, de um Seminário sobre Tendências da Tecnologia no Cenário Bancário Mundial.

> Prevenção de conflitos no ambiente de trabalho: Reunião específica para discutir aprimoramento do processo.

> Discutir um novo modelo de PLR antes da campanha nacional de 2014.

[divide]

Fonte: Contraf-CUT
Data original da publicação: 11/10/2013

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *