Espanha registra saída de 1 milhão de pessoas desde 2011

Quase um milhão de pessoas saíram da Espanha desde janeiro de 2011, de acordo com estimativas do Instituto Nacional de Estatística (INE). A maioria são ex-imigrantes que fugiram do país por conta da crise econômica.

Entre janeiro de 2011 e outubro, 927.890 pessoas emigraram do país ibérico, sendo 117.523 espanhóis. Apenas em 2012 houve a emigração de 420.150 pessoas, sendo 365.238 estrangeiras e 54.912 espanholas, um aumento de 21% em relação a 2012.

Em relação à imigração, houve forte redução. De janeiro a setembro, 282.521 pessoas chegaram à Espanha, sendo 29.373 espanhóis. Em comparação ao mesmo período de 2009, antes do início da queda, houve uma redução de 19,4%.

Com isso, o saldo migratório – diferença entre entrada e saída de habitantes – foi negativo em 137.628 pessoas entre janeiro e setembro, mais de 80 mil a mais que em todo o ano de 2011, quando o saldo ficou negativo em 50.090.

A redução da imigração e o aumento da emigração provocaram uma queda nos números da população geral espanhola. Em setembro, o país tinha 46.116.779, 36 mil a menos que em dezembro de 2011.

O saldo negativo de migração foi acentuado pelo avanço da crise econômica no país, que enfrenta seu auge neste ano. O desemprego na Espanha chegou a mais de 25% da população, sendo que mais da metade dos jovens não tem trabalho.

Após três anos de recessão, a economia espanhola sofre com o aumento da dívida pública e o crescimento das medidas de austeridade, o que limita a possibilidade de investimentos e o crescimento de outros setores da economia.

Os cortes orçamentários, que afetaram áreas como a saúde, a educação e os programas sociais, provocam protestos intensos da população contra o governo de Mariano Rajoy, que assumiu em 2011.

A deterioração da situação financeira faz com que o mercado financeiro acredite em um possível resgate ao país ibérico para conseguir manter as metas de austeridade do Banco Central Europeu (BCE), mas que até o momento não foi confirmado.

[divide]

FonteFolha de São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *