Diferenças de rendimento entre negros e brancos no Brasil: evolução e determinantes

Autor: Josimar Gonçalves de Jesus
Orientador: Rodolfo Hoffmann
Ano: 2016
Tipo: Dissertação de Mestrado
Instituição: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz
Repositório: Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
Resumo: Utilizando dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), o trabalho investiga o comportamento e os determinantes dos diferenciais de rendimento do trabalho entre negros e brancos no Brasil, bem como as causas da mudança observada nesse diferencial, no período 1995-2013. Contatou-se que, embora a diferença remanescente seja substancial e inaceitável, houve nesse período uma redução do hiato de rendimento entre os dois grupos de cor. Os resultados da decomposição de Oaxaca-Blinder indicam que a diferença entre os níveis de escolaridade média e as desiguais distribuições geográfica e ocupacional dos dois grupos são os principais determinantes dos diferenciais de rendimento observados. No que diz respeito à mudança observada no hiato de rendimento entre 1995 e 2013, os resultados da decomposição de Smith-Welch apontam para a queda nas taxas de retorno à escolaridade e para as mudanças na distribuição regional da população negra ocupada como seus principais determinantes.
Arquivo: Acesse aqui o texto completo
Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *