Desemprego na Grécia supera 27% e atinge recorde histórico

A taxa de desemprego na Grécia atingiu recorde histórico: 27,7% da população grega (1,38 milhão de pessoas) está sem trabalho. De acordo com os dados apurados pela Elstat (Autoridade de Estatística Helenística), o índice é ainda pior para os jovens. Entre as pessoas de até 25 anos de idade, 61,4% estão desempregados no país.

As medidas de austeridades levaram a economia do país a encolher em um quarto durante quatro anos. Com o corte de gastos e tentativas de reestruturação, a taxa de desemprego deve subir ainda mais nos primeiros três meses de 2014. O aumento também está ligado a uma diminuição no suporte do turismo – uma das principais fontes de lucro do país.

Comparado aos outros países da região, o desemprego grego representa mais do que o dobro da taxa média na zona do euro. O número de pessoas sem trabalho no bloco econômico era de 19 milhões em dezembro, com uma taxa de 12%, segundo autoridades da União Europeia.

No entanto, outros indicadores econômicos têm sugerido que há sinais de recuperação, prevendo um tímido crescimento ainda neste ano. Outros dados econômicos – como vendas no varejo, atividade manufatureira e construção civil – têm apontado para sinais de que a recessão no país já chegou a seu ponto mais baixo possível. Assim, analistas acreditam que as próximas etapas devem trazer crescimento à economia grega.

“Como esperado, o mercado de trabalho mostrou uma reação atrasada a outros sinais positivos na economia”, disse o economista Nikos Magginas no Banco Nacional em Atenas, à BBC.

Antes da crise

A tarefa de baixar sensivelmente essa taxa não será fácil. Antes da crise, o país crescia entre 3% e 5% anualmente, gerando uma média de 50 mil empregos, apontou Philippos Sachinis, ex-vice-ministro de Finanças, ao Le Monde.

Segundo estudos, mesmo que a recuperação comece neste ano, como Atenas espera, a expectativa é que demore pelo menos 20 anos para reduzir à totalidade o número de desempregados se não houver medidas que encoragem investimento interno e estrangeiro.

[divide]

Fonte: Opera Mundi
Data original da publicação: 13/02/2014

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *