Aberta chamada pública para o dossiê Mundo do Trabalho em transformação, da revista Século XXI

Aberta chamada pública para o dossiê Mundo do Trabalho em transformação, da revista Século XXI
Pensar e entender as mudanças do mundo trabalho na base do documento a ser produzido. Imagem: ThinkStock

O dossiê Mundo do Trabalho em transformação que está sendo organizado pelos professores José Ricardo Ramalho (UFRJ) & Laura Senna Ferreira (UFSM) tem o prazo final para submissão de artigos até 30 de junho de 2018.

O documento tem por objetivo reunir artigos originais resultantes de pesquisas que versem sobre os temas das mudanças no mundo do trabalho. Os organizadores destacam que  serão bem-vindos artigos com diferentes recortes temporais e espaciais, e com diversos enfoques analíticos, metodológicos e epistemológicos. Os artigos, individuais ou em co-autoria, devem apresentar contribuições dentro dos seguintes eixos orientadores:

– Trabalhadores: novos perfis e categorias profissionais;

– Trabalho e novas tecnologias;

– Trabalho e perspectivas formativas e educacionais;

– Dilemas e desafios sindicais: inserções institucionais e a pauta dos direitos do trabalho;

– Processos de trabalho;

– Relações de trabalho na América Latina.

Os organizadores destacam que as transformações do mundo do trabalho exigem novos esforços de investigação social. Desde os anos 1970, com os processos de reestruturação produtiva, verifica-se uma mudança nas estratégias empresariais no sentido de articulação em rede, introdução de novas tecnologias e flexibilização das relações de trabalho. Foi uma ofensiva empresarial que visava restringir conquistas salariais, benefícios e direitos do trabalho e introduzir processos de racionalização do trabalho apoiados em tecnologias de base microeletrônica e informacional.

A tecnologia passou a demandar formação e habilidades técnicas, cognitivas e comunicativas dos trabalhadores, impulsionando novos perfis profissionais.

Além disso, buscou-se a construção de consensos entre os trabalhadores em torno dos valores empresariais, produzindo novas subjetividades do trabalho. No período marcado por ideologias e práticas neoliberais, os Estados nacionais se constituíram em parceiros do mundo dos negócios no desmonte da regulação do trabalho. No caso latino americano, os anos 2000 pendulam entre posturas neoliberais e plataformas mais reguladoras, mas nos últimos anos o continente tem vivido o fortalecimento das políticas e ideologias de mercado. Nesse contexto, as lutas sindicais e de outros movimentos sociais têm sido no sentido de defender direitos e lutar contra a precarização do trabalho. Isso inclui também o envolvimento em outras esferas da vida dos trabalhadores.

A submissão de artigos deve respeitar as normas editoriais, disponíveis na página de internet da Século XXI em “Diretrizes para Autores” ou logo abaixo em “Instruções para os colaboradores”.

Os artigos deverão ser enviados para o endereço eletrônico: seculoxxippgcs@gmail.com

O dossiê deverá compor o Vol. 8, nº 2, da Século XXI, cuja publicação está prevista para dezembro de 2018.

A Século XXI – Revista de Ciências Sociais  [ ISSN: 2236-6725 (online) e ISSN: 2179-8095 (print) – DOI: http://dx.doi.org/10.5902/22366725 ] é uma publicação semestral do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais do Centro de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Federal de Santa Maria – UFSM. Sua política editorial contempla a divulgação da investigação científica no âmbito das ciências sociais (antropologia, ciência política e sociologia) na forma de artigos, resenhas e comunicações de pesquisa com relevância científica e social. Seu público alvo é constituído por docentes, pesquisadores e estudantes de pós-graduação em ciências sociais. A revista oferece acesso livre e imediato ao seu conteúdo.

Instruções para os colaboradores

1 Os artigos devem ser acompanhados de resumo contendo entre 150 e 200 palavras, em português e em inglês, devendo conter de forma clara uma síntese de propósitos, dos métodos empregados e das principais conclusões do trabalho, além de cinco palavras-chave em português e inglês, bem como informações sobre o autor (tais como, titulação acadêmica, filiação institucional, cargo que ocupa, áreas de interesse, trabalhos publicados, endereço eletrônico, etc.). Os artigos podem ser submetidos em português, espanhol, inglês ou francês.

2 Os artigos deverão conter um mínimo de 7.000 palavras e um máximo de 15.000 palavras, incluindo referências bibliográficas e notas de rodapé.

3 O título do artigo deve ter, no máximo, 90 caracteres com espaços.

4 Os textos deverão ser escritos em fonte Times New Roman, corpo 12, justificado, espaço 1,5, folha A4 (21,0×29,7 cm). Com margem na primeira linha do parágrafo e espaçamento de 6 pontos entre cada parágrafo.

5 As menções a autores, no âmbito do texto, devem seguir a seguinte forma: (Autor, data) ou (Autor, data, página), como nos exemplos: (Weber, 1992) ou (Weber, 1992, p.122). Se houver mais de um título do mesmo autor publicado no mesmo ano, eles devem ser diferenciados por uma letra após a data: (Adorno, 1975a), (Adorno, 1975b), etc. As referências a mais de um título na mesma menção, devem ser separadas por ponto e virgula, como no exemplo: (Holanda, 1995; Souza, 2000).

6 As notas, se necessárias, serão numeradas consecutivamente dentro do texto e colocadas ao pé da página, devendo ser de natureza substantiva, restringindo-se a comentários adicionais ao texto.

7 Desenhos, gráficos, mapas, tabelas, quadros e fotografias, devem conter título e fonte, e estar numerados. Deverão, ainda, estar em condições tais que permitam a reprodução e impressão fidedignas e de qualidade, e devem ser encaminhados em arquivo separado do texto, com indicações claras, ao longo do texto, do local da inserção das imagens.

8 A Revista não assume responsabilidade por conceitos emitidos pelos autores. O envio espontâneo de qualquer colaboração implica automaticamente a cessão integral dos direitos autorais à Século XXI – Revista de Ciências Sociais.

9 As referências deverão ser incluídas ao final do trabalho, em ordem alfabética e dentro das normas da ABNT – NBR 10520, observando-se os seguintes critérios:

a) LIVROS:

FLORESTAN, Fernandes. A revolução burguesa no Brasil: ensaio de interpretação sociológica. Rio de Janeiro: Zahar, 1975.

BAUER, M; AARTS, B. A Construção do Corpus: Um Princípio Para a Coleta de Dados Qualitativos. In: BAUER, Martin W.; GASKELL, George.Pesquisa Qualitativa com Texto, Imagem e Som – Um Manual Prático. Petrópolis: Editora Vozes, 2002. (pp. 37 – 63).

BONELLI, Maria da Glória et alli. Profissões jurídicas identidades e imagem pública. São Carlos: EDUFSCAR, 2006.

b) PERIÓDICOS:

NUNES, Everardo Duarte. Merton e a sociologia médica. História, Ciência e Saúde: Manguinhos. Rio de Janeiro: Ed. Fiocruz, 2007, pp. 159-172.

ORTIZ, Renato. As ciências sociais e o inglês. Rev. Bras. Ci. Soc. Vol. 19, nº54, pp.5-22, 2004.

c) DISSERTAÇÕES E TESES:

FERREIRA, Kátia M. M. Estatuto da Criança e do Adolescente na Justiça da Infância e Juventude de Porto Alegre: análise sociológica dos processos de destituição do pátrio poder. 2000. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 153 p.

d) INFORMAÇÃO OU TEXTO OBTIDO NA INTERNET:

Revista Ciência Hoje. In: http://www.comciencia.br/reportagens/celulas/02.shtml, acesso em 07 de novembro de 2008.

Leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *