“Trabalho Além da Barbárie” une a magistratura do TST e de vários TRTs do Brasil

Ilustração: Justificando

Um espaço de resistência urge ante a barbárie dos tempos bicudos. No Justificando, em nova coluna, juízes e juízas trabalhistas se unem, munidos não somente da razão da lei, mas também impelidos da coragem que se exige de uma altiva vanguarda progressista. Assim, se constrói mais uma trincheira jurídica nas narrativas que disputam o poder entre a civilização e a barbárie.

No distópico Brasil de 2020, em meio à uma pandemia, se reconstroem as relações laborais, assentadas na velha exploração do homem pelo homem. Entre um discurso neoliberal e outro, direitos são esvaziados, e mais um coach precarizado culpa um novo indivíduo por ser pobre. O agora empreendedor, ex-trabalhador, não é empregado, se tornou um parceiro. A biopolítica que disciplina o corpo para o trabalho também distrai a mente afogada em improdutividade entre as notificações do smartphone e o continuum de um expediente que nunca acaba.

Desvelando os efeitos da quarta revolução industrial, a fusão entre o mundo físico, digital e biológico é o protótipo que prenuncia o caos para o pós-pandemia. Junto com a redução de postos de trabalho no curto prazo, surgem dos excluídos também “os inúteis”, desintegrados do abstracionismo do digital, impossibilitados de viver o agora remoto, não se tornam somente desempregados, mas não empregáveis.

A massa improdutiva, sem trabalho, já representa 13 milhões de brasileiros. A deseperança foi universalizada pela política do absurdo camusiano. Direitos foram surrupiados, a normalidade corrompida, a liberdade cerceada e há quem diga que não existam juízes em Berlim. Se questionam quem são, aqui estão eles, navegando entre o poder e o contra poder, disputando as narrativa que alcançam os tribunais, apontando as velas para longe do furacão obscurantista que paira no Brasil.

Neste espaço democrático, ecoam-se as vozes que reclamam o resgate dos princípios de proteção social do trabalho. Das palavras do desembargador Gustavo Tadeu Alkmim, em sua estreia, escuta-se o brado da resistência, prenunciando a auspiciosa união desta coluna: “O juiz do trabalho contemporâneo não tem o direito de ficar indiferente à pretensa destruição do Direito do Trabalho; não pode tolerar o retrocesso como se nada tivesse a ver com isso.”

A coluna “Trabalho Além da Barbárie”, coordenada por Kenarik Boujikian, será veiculada todas às quintas-feiras no Justificando, e será escrita por magistradas e magistrados, ministros, desembargadores e juízes de primeiro grau, com atuação desde o TST até os TRTs de várias regiões do país.

Conheça o time de colunistas:


Ana Paula Tauceda Branco, desembargadora do Trabalho do TRT/17a Região;

Carlos Eduardo Oliveira Dias, juiz da 1a vara do trabalho Campinas TRT/15a Região;

Delaide Alves Miranda Arantes, ministra do TST;

Eleonora Bordini Coca, desembargadora do Trabalho TRT/15a Região – Campinas;

Francisco Luciano de Azevedo Frota, juiz do trabalho, titular da 3a Vara de Brasília, TRT/10a Região;

Gabriel Napoleão Velloso Filho, desembargador TRT/8a Região – PA/AP;

Gustavo Tadeu Alkmim, desembargador TRT/1a Região – Rio de Janeiro

Grijalbo Fernandes Coutinho, juiz do TRT/10a Região, Brasília

Germano Siqueira, juiz titular da 3ª Vara do Trabalho de Fortaleza- TRT/7a Região

Hugo Cavalcanti Melo Filho , juiz da 12a Vara do Trabalho de Recife, TRT/6a Região

José Antonio Correa Francisco, juiz da 12a Vara do Trabalho de Manaus

Lygia Maria de Godoy Batista Cavalcanti, juíza da 9° Vara do Trabalho de Natal, TRT/21a Região

Luis Eduardo Soares Fontenelle, juiz do TRT/17a Região

Marcelo Tolomei Teixeira, juiz da 7a Vara de Vitória, TRT/17a Região

Magda Barros Biavaschi , desembargadora aposentada do TRT4a Região

Raquel Rodrigues Braga, juíza do trabalho aposentada TRT/1a Região

Renata Conceição Nóbrega Santos, juíza TRT/6a Região – Pernambuco

Reginaldo Melhado, juiz titular da 6ª Vara do Trabalho de Londrina, TRT/9a Região – Paraná.

Suely Filippetto, juíza do trabalho, Titular da 23a Vara de Curitiba , TRT/9a Região – Paraná

Vladimir Paes de Castro, juiz do trabalho do TRT/21a Região

Zéu Palmeira Sobrinho , juiz da 10a Vara do Trabalho de Natal TRT/21a Região

Fonte: Justificando
Texto: André Zanardo
Data original da publicação: 06/08/2020

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *