Trabalho a distância favorece diversidade profissional e aumenta a produtividade, diz OIT

Após decisão em fevereiro da Diretora Executiva do Yahoo, Marissa Mayer, de proibir seus funcionários de trabalharem em casa, o debate sobre vantagens e desvantagens do chamado “teletrabalho” ganhou mais notoriedade.

Segundo um comunicado interno confidencial que vazou para a imprensa, Mayer disse que a comunicação rápida e a colaboração de qualidade frequentemente são sacrificadas pelo trabalho a distância, inclusive em casa.

Em artigo publicado na última segunda-feira (25), a Organização Internacional do Trabalho (OIT) ressaltou algumas vantagens do trabalho em casa. Segundo a agência da ONU, os empregos a distância favorecem a diversidade no ambiente de trabalho, permitindo que os profissionais conciliem a vida profissional e o cuidado com seus filhos e familiares mais velhos.

Além disso, ainda de acordo com a OIT, o teletrabalho ofereceria oportunidades a pessoas com deficiência que têm dificuldades em chegar nos seus locais de trabalho. Empregadores virtuais contratam pessoal a distância sem tê-los visto, reduzindo a discriminação por raça, religião ou cor.

O teletrabalho também permite que os empregadores economizem dinheiro com o consumo de energia, bens imóveis ou custos de relocalização, disse a OIT. Também permite economizar o tempo perdido em reuniões desnecessárias ou mal organizadas. As teleconferências costumam ser melhor planificadas e mais concentradas no tema em discussão.

Para a OIT, o teletrabalho aumenta a satisfação dos empregados, ao evitar longas distâncias para o trabalho e permitir o encontro de um equilíbrio entre a vida privada e a profissional. Segundo empresas como Best Buy, British Telecom e Dow Chemical, o teletrabalho torna os profissionais de 35% a 45% mais produtivos.

Mesmo com as tendências a favor do teletrabalho e a confiança dos gerentes em seus empregados, um terço dos chefes prefere ver seus empregados, segundo estudos utilizados pela OIT. A agência ressaltou que é necessário um enfoque mais moderno que considera o pessoal digno de confiança.

No entanto, os que trabalham em suas casas devem se autogerenciar, dispor de um espaço de trabalho definido e entender que seu emprego não é o substituto do cuidado com as crianças. Os horários de trabalho devem ser baseados nas necessidades da família.

Fonte: ONU Brasil
Data original da publicação: 27/03/2013

Leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *