“É preciso ajudar pequenas empresas sem destruir o mercado de trabalho” diz Santiago Levy

[vc_row][vc_column][vc_column_text] Estabilidade macroeconômica, abertura comercial, aumento de investimento e de escolaridade. Apontados na literatura como fundamentais para um país próspero e produtivo, esses elementos não têm sido suficientes para garantir dinamismo econômico ao México. De 1996 a 2015, o PIB per capita do país expandiu-se apenas 1,2% ao ano. Ao estudar as causas desse descompasso, o economista Santiago Levy – ex-ministro de Finanças e Crédito Público, criador do Bolsa Família mexicano, com passagem pelo BID – se tornou referência quando … >>>