Sem acordo, aeronautas podem parar na sexta-feira

O presidente do Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA), Marcelo Ceriotti, se reuniu na quarta-feira, 18, com representantes das empresas aéreas para buscar um acordo antes da deflagração da greve prevista para esta sexta-feira, dia 20. Não houve novas propostas em relação às demandas salariais dos aeronautas, que pleiteiam reajuste de 8%.

As empresas aéreas, alegando dificuldades financeiras, oferecem reajuste de 5,6%. O encontro serviu para o debate sobre outras reivindicações, como melhor planejamento de escalas para os funcionários do setor. O SNA realiza nesta quinta-feira assembleia com os profissionais em diversos aeroportos do país para apresentar o resultado do diálogo com os empresários. De acordo com o advogado que representa as companhias associadas ao Sindicato Nacional de Empresas Aeroviárias (Snea), Odilon Junqueira, a expectativa é positiva.

“Os próprios aeronautas reconhecem que conquistaram pontos importantes sobre a escala, que representa uma melhor qualidade de vida para os trabalhadores”, afirmou, após a reunião. Segundo Junqueira, o Snea já fechou acordos regionais com parte dos sindicatos de aeroviários, trabalhadores de solo dos aeroportos, em São Paulo, Belo Horizonte e Rio, onde há dois dias uma operação padrão causou atrasos no aeroporto do Galeão.

“Garantimos reajuste do piso de 7% e de vale-refeição. Para os aeronautas, estamos oferecendo 5,6% de reajuste nas cláusulas econômicas, e estamos num longo processo consensual para aprovação de outras cláusulas, quanto à organização das escalas. Agora, é esperar a assembleia de amanhã”, afirmou. O SNA não se pronunciou sobre o encontro. Na sexta-feira, 13, Ceriotti havia convocado os trabalhadores a paralisar as atividades no dia 20.

Segundo o presidente do SNA, a proposta das empresas não representa ganho real para a categoria. O sindicato afirma ainda que assegura o cumprimento da legislação quanto à disponibilização de 20% do efetivo da categoria nos aeroportos durante o período de greve. A paralisação está prevista para as 6 horas da sexta-feira, quando há expectativa de grande movimento nos aeroportos do país.

[divide]

Fonte: O Estado de S.Paulo, com Agência Estado
Texto: Antônio Pita
Data original da publicação: 18/12/2013

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *