Renda do trabalho cresce 2,8% acima da inflação em 2014

De acordo com pesquisa realizada mensalmente pelo IBGE, a renda média do trabalho cresceu 2,8% acima da inflação, em 12 meses, até novembro, que ultrapassa o aumento do ano anterior para igual período, que foi de 1,8%.

Em entrevista à Rádio Brasil Atual, o coordenador de atendimento sindical do Dieese, Airton Santos, diz que o mercado de trabalho aquecido e, por consequência, a disputa por profissionais mais qualificados colaboraram para a elevação. Outros fatores importantes são a política de valorização do salário mínimo, que força a elevação das remunerações como um todo, e a atuação do movimento sindical.

“Na medida em que o mercado de trabalho está aquecido e cresce a demanda por mão de obra qualifica, os sindicatos têm maior êxito nas negociações. Evidentemente, os trabalhadores mais disputados são aqueles com maior nível de qualificação”, afirma Airton Santos.

O coordenador do Dieese aponta para a formação de um círculo virtuoso: “Do ponto de vista da economia e do consumo do mercado interno, é algo muito positivo. Aumentos reais de salários revertem em maior consumo, portanto, o comércio se beneficia com isso. Se o comércio se beneficia, passa a haver mais produção, e essa produção requer mais mão de obra”.

Alguns críticos ressaltam que o aumento da renda pode gerar consumo excessivo, com impactos no aumento geral dos preços, mas Airton afirma que não se pode responsabilizar os salários pelo crescimento da crescimento da inflação. “É o mercado de trabalho aquecido que favorece”.

Sobre o cenário para 2015, o coordenador alega que o baixo crescimento do PIB, que gera expectativas negativas de investimento, além das medidas de ajustes anunciadas pelo governo podem refletir na renda do trabalhador, mas que ainda é cedo para previsões alarmistas.

[divide]

Fonte: Rede Brasil Atual
Data original da publicação: 06/01/2015

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *