Programa da OIT na Zâmbia deve criar 5 mil empregos ecológicos até 2017

Um projeto desenvolvido pela ONU em parceria com o governo da Zâmbia pretende criar milhares de empregos verdes no país até 2017. A iniciativa é liderada pela Organização Internacional do Trabalho (OIT).

A ação apoia pequenas e médias empresas do setor de construção civil do país africano. O custo é orçado em US$ 12,1 milhões, obtidos com ajuda do governo da Finlândia.

Crescimento Sustentável

A iniciativa inclui formação em construção sustentável, onde participantes aprendem a usar materiais sustentáveis produzidos localmente. Há também uma componente de promoção de saúde e segurança no trabalho e outra com foco na proteção social aos trabalhadores vulneráveis no setor.

De acordo com um representante do programa, Tapera Muzira, além de “melhorar a qualidade de 2 mil postos de trabalho já existentes”, o projeto deverá “facilitar a criação de 5 mil empregos” nos próximos dois anos.

Pobreza

O crescimento econômico da Zâmbia tem sido constante especialmente nos últimos 10 anos, e deve chegar aos 7,4% este ano. Mas a expansão sustentável não gerou um número significativo de postos de trabalho e os níveis de pobreza continuam altos.

Estima-se que mais da metade da população do país esteja a viver abaixo da linha de pobreza.

Poluição

Segundo dados das Nações Unidas, o crescimento econômico zambiano tem afetado o meio ambiente. Prova disso é a proporção de área coberta por florestas, que diminuiu de 71% em 1990 para 67% em 2010.

Além disso, 82% das pessoas na Zâmbia ainda depende de combustíveis tradicionais, como madeira, carvão e resíduos animais. Os dados são da Organização Mundial da Saúde, OMS.

A agência afirma que 8.240 pessoas morreram devido à poluição do ar doméstico em 2012.

Exemplo

Tapera Muzira disse que o programa “serve como exemplo do que pode ser feito em países desenvolvidos para investir em desenvolvimento sustentável e progredir com a saúde e segurança ocupacionais e o aumento da proteção social”.

Segundo ele, “o objetivo do projeto é mostrar que a combinação de mais oportunidades de trabalhos decentes com práticas que respeitem o meio ambiente é possível, e a um custo viável”.

[divide]

Fonte: ONU
Texto: Michelle Alves de Lima
Data original da publicação: 04/06/2015

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *