Professores de Buenos Aires mantêm greve após novo fracasso em negociações

Os sindicatos de professores da província de Buenos Aires decidiram na quarta-feira (26/03) manter a greve da categoria, que já dura 15 dias, após um novo fracasso nas negociações salariais com o governo regional.

A ratificação da medida, que afeta 3,5 milhões de estudantes, foi anunciada pelos líderes sindicais após uma reunião com representantes do governo da província. Estes, segundo as associações de docentes, não cederam ao pedido de aumento de 35% feito pelos professores e mantiveram o percentual de 30,9% decretado na semana passada.

Os sindicatos alegam que esse aumento dado por decreto beneficia apenas um quinto dos educadores, e que, para os demais, a alta não ultrapassaria 24%. Por causa do conflito salarial, as aulas na província de Buenos Aires, que deveriam ter começado no último dia 5, ainda não foram iniciadas.

No sábado, a defensoria pública de Buenos Aires conseguiu uma medida cautelar por parte da justiça para que os professores voltem às salas de aula e não prejudiquem o “direito à educação” dos alunos.

No entanto, os sindicatos alegaram que não foram notificados em tempo e forma sobre essa ordem judicial e que, além disso, a medida sequer é estável, já que foi ditada no sábado por um juiz de turno e vai ser avaliada por outro magistrado, que dias atrás rejeitou uma medida cautelar para que a greve fosse suspensa.

As negociações salariais do setor educativo são umas das mais conflituosas da Argentina, porque servem como referência para as paritárias das demais categorias.

[divide]

Fonte: Opera Mundi
Data original da publicação: 26/03/2014

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *