Pesquisas de uso do tempo auxiliam nas políticas públicas

Na abertura da 35ª Conferência da Associação Internacional para Pesquisa de Uso do Tempo, na quarta-feira, 07, no Rio de Janeiro, a secretária-executiva da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Lourdes Bandeira, afirmou que as pesquisas sobre o uso do tempo são importantes para identificar como homens e mulheres utilizam o seu tempo, na vida cotidiana. “De posse desses dados, podemos identificar as horas despendidas por mulheres e homens em atividades não remuneradas e a partir disso, com políticas, alterar a divisão sexual do trabalho”, afirmou.

Também na mesa, a representante do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a técnica de Planejamento e Pesquisa, Natália Fontoura, falou sobre a importância das pesquisas de uso do tempo para as políticas públicas. “O Ipea se preocupa em estudar e analisar as políticas públicas”, comentou ela, que é integrante do Observatório Brasil da Igualdade de Gênero.

O evento foi organizado pelo Ipea, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Organização Internacional do Trabalho (OIT), ONU Mulheres, Secretaria de Políticas para as Mulheres e o Governo Federal do Brasil. Ainda presente à mesa de abertura, o presidente da IATUR (Associação Internacional para Pesquisas do Uso de Tempo), Michael Bittman, discorreu sobre a história do evento e a evolução do tema de uso de tempo. “Estamos muito felizes que, no Brasil, o tópico de uso de tempo está se equiparando ao mesmo nível do resto do mundo” disse.

Na conferência, o técnico de Planejamento e Pesquisa do Ipea, Mauricio Cortez Reis, apresentou dados sobre o perfil de alocação de tempo no trabalho e em afazeres domésticos por homens e mulheres, de 18 a 80 anos.

[divide]

FonteIpea
Data original da publicação: 07/08/2013

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *