ONU pede fim da escravidão moderna no dia em que se celebra memória das vítimas da escravidão

No momento em que a comunidade internacional se reúne para comemorar o Dia Internacional em Memória das Vítimas da Escravidão e o Tráfico Transatlântico de Escravos, o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, alertou na quarta-feira (25/03) que a prática insidiosa de escravidão forçada continua ressoando por todo o mundo em várias formas – a partir de trabalho forçado e tráfico para fins de exploração sexual e de cativeiro em condições semelhantes à escravidão.

“Essas práticas desprezíveis não poderiam existir sem o racismo enraizado”, lembrou Ban. “Peço a renovação de nosso compromisso em acabar com a escravidão moderna, para que nossos filhos vivam em um mundo livre de racismo e preconceito, com igualdade de oportunidades e direitos para todos.”

O tema deste ano, “Mulheres e Escravidão”, presta homenagem e celebra a força das muitas mulheres escravizadas que enfrentaram sofrimentos insuportáveis, incluindo a exploração sexual, bem como aquelas que lutaram pela liberdade da escravidão e defenderam a sua abolição.

Segundo a ONU, estima-se que um terço das 15 milhões de pessoas que foram deportadas da África através do comércio transatlântico de escravos eram mulheres.

[divide]

Fonte: ONU
Data original da publicação: 25/03/2015

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *