OIT alerta sobre importância do trabalho decente para redução das desigualdades no Brasil

A promoção do trabalho decente é passo essencial para a redução das desigualdades no Brasil, segundo documento publicado pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), que destacou entre os principais desafios do país a queda dos empregos formais e o aumento do desemprego diante do agravamento da crise econômica.

A organização lembrou que, em 2015, o mercado de trabalho brasileiro perdeu 1,5 milhão de empregos formais. De acordo com números do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os trabalhadores sem carteira assinada chegaram a 10,3 milhões em julho deste ano.

As vulnerabilidades atingem trabalhadores de formas diferentes, e alguns grupos necessitam de maior atenção na promoção do trabalho decente, segundo a OIT, lembrando que os trabalhadores negros ganham 41% menos que os brancos no Brasil, e apenas 0,7% dos empregos formais são ocupados por pessoas com deficiência.

“A promoção do trabalho decente é uma das vias mais poderosas de inclusão social, autonomia, dignidade e distribuição dos frutos do crescimento econômico”, disse a organização no documento.

A OIT destacou ainda a criação do Marco de Assistência da ONU para o Desenvolvimento (UNDAF) no Brasil de 2017 a 2021, que irá incorporar o trabalho decente como resultado a ser alcançado e condição essencial para redução das desigualdades no país.

“O principal desafio para o futuro do trabalho da OIT no Brasil no quadro dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável para 2030 é a crise econômica com o aumento do desemprego, particularmente o juvenil, que é duas vezes maior que o desemprego total”, disse o documento.

Outros desafios são a promoção da igualdade de oportunidades e de tratamento no emprego de afrodescendentes, mulheres, pessoas com deficiência, pessoas LGBT e migrantes e a ampliação da seguridade social entre os segmentos mais vulneráveis da população.

Clique aqui para acessar o documento.

[gap]

Fonte: ONU Brasil
Data original da publicação: 09/11/2016

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *