O HSBC e as tradicionais práticas antissindicais

A Greve Nacional dos Bancários está apenas começando, mas o HSBC já está se superando nas práticas antissindicais. Na terça-feira (30/09) e quarta-feira (01/10), o Sindicato dos Bancários de Curitiba e região recebeu inúmeras denúncias de funcionários do banco inglês relatando medidas de contingenciamento e tentativa de coibir o direito de greve dos trabalhadores.

Entre as denúncias, os bancários informam as principais concentrações de contingência, como no Centro de Treinamento do HSBC, Global, Vital e Softmarketing, entre outros. Muitos trabalhadores estão sendo direcionados para locais sem estrutura adequada, sem segurança e que põem em risco suas vidas e saúde. Eles relatam também atitudes de gestores que estão pressionando os funcionários que tenha aderido à greve. A pressão para não adesão chega ao limite, com ameaças de rebaixamento e demissão.

“Todos os anos o HSBC faz a mesma coisa! Não colabora com os avanços na mesa de negociação e, quando fortalecemos a mobilização, apela para as práticas antissindicais”, afirma Cristian Zacarias, coordenadora nacional da COE/HSBC.

Palácio Avenida

No Palácio Avenida, a situação parecer estar bastante complicada. Conforme as denúncias, os gestores estão coagindo os funcionários a chegarem ainda de madrugada, antes das 6h, no local de trabalho. Outros são obrigados a entrarem no banco às 16h, após o encerramento do expediente bancário, sem hora para sair. De alimentação, os trabalhadores são obrigados a comer lasanhas congeladas, já que os gestores não autorizam a saída do prédio.

“Com tais medidas, os transtornos causados pelo HSBC extrapolam a vida profissional dos bancários e atingem a rotina privada, como, por exemplo, os horários de entrada e saída de filhos na escola. Isso é absurdo!”, acrescenta Cristiane.

O Sindicato orienta que os bancários não se submetam ao autoritarismo do HSBC. Além disso, lembra que é importante guardar todo tipo de prova do assédio, como mensagens de celular, e-mails, fotos ou gravações. As denúncias de contingência e de coerção também devem ser encaminhadas ao Sindicato para que a entidade possa tomar as providências necessárias.

Novo canal

Desde a terça-feira (30/09), o Sindicato disponibilizou aos bancários um novo canal de comunicação, através do WhatsApp. Se você tem alguma informação relevante, reclamação ou denúncia, envie mensagem para (41) 9989-8018. Aos funcionários do HSBC, o Sindicato solicita que informem mais detalhes sobre o contingenciamento no Palácio Avenida, preferencialmente os nomes dos gestores que estão abusando de sua autoridade.

[divide]

Fonte: Sindicato dos Bancários de Curitiba e Região
Texto: Renata Ortega
Data original da publicação: 01/10/2014

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *