O assédio moral e a precarização do trabalho: repercussões sobre a saúde do trabalhador de telemarketing

Autor: Rafael Câmara Norat
Orientadora: Maria de Fátima Melo do Nascimento
Ano: 2018
Tipo: Dissertação de Mestrado
Instituição: Universidade Federal da Paraíba. Centro de Ciências Humanas e Letras. Programa de Pós-Graduação em Serviço Social
Repositório: Repositório Institucional da UFPB
Resumo: A presente dissertação investiga o assédio moral no ambiente de trabalho e suas repercussões sobre a saúde do trabalhador, tendo os operadores de telemarketing como categoria de profissionais analisada, bem como a precarização do trabalho a que estes trabalhadores estão submetidos. A importância da investigação do fenômeno da precarização se dá pelo fato de que as mutações que ele acarreta no mundo do trabalho afeta a sociedade como um todo e, para o trabalhador, pode repercutir diretamente na sua saúde física e mental. Relaciona o assédio moral como mecanismo de precarização das relações de trabalho, através da intensa exploração dessa classe de trabalhadores, seja pela vigilância excessiva no trabalho, seja pelas constantes cobranças em busca de resultados ou até mesmo pela alta rotatividade e instabilidade no emprego dentro do setor de telemarketing. O objetivo deste trabalho consiste em analisar, através do discurso dos trabalhadores entrevistados, a relação do assédio com a precarização no ambiente de trabalho dos call centers. A atualidade do tema se dá pelas recentes aprovações legislativas no Brasil que liberam a terceirização (lei nº 13.429, de 31 de março de 2017) para todas as atividades da empresa e a recente aprovação da reforma trabalhista (lei nº 13.467/2017). Este trabalho utilizou, sobretudo, como recurso analítico, a abordagem qualitativa, seguindo os passos metodológicos da pesquisa bibliográfica/documental e da pesquisa de campo, através de entrevistas com os trabalhadores do telemarketing. As interpretações dos resultados desta pesquisa evidenciaram que o assédio moral contra os operadores de telemarketing vem aumentando, como corroboram os dados da Justiça do Trabalho, através do aumento no volume de ações judiciais que envolvem esses profissionais e o assédio moral no ambiente de trabalho, bem como pelas denúncias reveladas por esses trabalhadores durante a pesquisa de campo.
Arquivo: Acesse aqui o texto completo

Leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *