Novos protestos na Espanha

Cerca de 27 pessoas foram detidas e outras 64 ficaram feridas – cinco delas precisaram de assistência médica. Esse é o balanço dos confrontos da terça-feira (23 de outubro) entre manifestantes e policiais nos arredores do Congresso de Deputados espanhol, em Madri.

Muitos manifestantes, em resposta à ação policial, sentaram-se no chão em frente dos agentes, com as mãos no ar, gritando “Governo demissão” e “não nos representam”.

Com forte presença policial, o protesto “Cerca o Congresso” reuniu milhares de pessoas em todos os pontos de acesso ao Parlamento. O objetivo da ação é expressar seu desgosto por políticos e iniciar “um processo constitucional”, segundo os organizadores. “Não pretendemos impor nenhuma alteração violenta de funcionamento do Congresso, mas recuperar a democracia do sequestro econômico em que a maioria dos partidos consentiu”, afirmou o movimento 25S em comunicado divulgado na internet.

O protesto é o tema dominante nas redes sociais espanholas com fotos e vídeos  que mostram a elevada presença dos ativistas em três assembleias organizadas durante a tarde e a forte presença policial no entorno do Congresso. “Polícia, junta-te a nós”, foi o grito de muitos manifestantes dirigido aos agentes nas barreiras de segurança.

A operação envolveu mais de 1.300 agentes e elementos de 30 dos 52 grupos operacionais das Unidades de Intervenção Policial espanhola.

O protesto foi convocado pela “Coordenadora 25S” e pela “Plataforma em Pé”, que defende a desobediência civil, protestos e uma “assembleia permanente” de cinco dias de duração nas imediações do Congresso de Deputados. As mobilizações na Espanha tiveram início depois que o parlamento espanhol aprovou cortes de R$ 65 bilhões de euros que devem ser implementados nos próximos dois anos e meio.

[divide]

Fonte: EBC

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *