Multinacionais têxteis recorrem ao trabalho escravo de crianças sírias

Uma investigação da BBC Panorama revela que grandes multinacionais da indústria têxtil recorrem a trabalho infantil, o que confirma uma investigação recente da agência Reuters. Segundo estes dois trabalhos jornalísticos na Turquia, crianças e adolescentes sírias refugiadas trabalham em fábricas em turnos de 12 horas, com salários de miséria.

Os refugiados fazem a roupa e engomam-na antes de ser enviada para a Europa ocidental. Os jornalistas da BBC fotografaram as etiquetas das roupas e identificaram marcas como o Marks&Amp; Spencer, a Zara, a Mango ou a ASOS. Os responsáveis das marcas confrontados pelas evidências afirmam que desconheciam a situação.

[gap]

Fonte: Esquerda.Net
Data original da publicação: 24/10/2016

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *