Mercantilização da educação e precarização das relações de trabalho docente: o ensino superior privado e a atuação do sindicato dos professores e professoras de Guarulhos

Autora: Andrea Luciana Harada Sousa
Orientador: Evaldo Piolli
Ano: 2015
Tipo: Dissertação de Mestrado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas. Faculdade de Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação
Repositório: Biblioteca Digital da Unicamp
Resumo: Esse trabalho tem como objetivo estudar o processo de expansão do ensino superior privado e sua relação com a precarização do trabalho docente, bem como analisar as tentativas de resistência por meio das ações do Sindicato dos Professores e Professoras de Guarulhos. Para a construção desse trabalho adotamos os seguintes procedimentos metodológicos: 1) a análise de dados objetivos fornecidos por órgãos oficiais, pelo Sindicado e pela Federação dos Professores do Estado de São Paulo (FEPESP); 2) a pesquisa documental e bibliográfica. Partimos de uma caracterização da expansão do ensino superior privado no Brasil para, em seguida, apontarmos as implicações desse processo na precarização do trabalho docente. Para tanto, analisamos alguns aspectos do movimento sindical na atualidade e a particularidade do sindicalismo docente; e, na parte final, traçamos um histórico da constituição do Sindicato dos Professores de Guarulhos, os antecedentes da fundação e a atuação do Sinpro Guarulhos: os avanços e limites da resistência. Tomamos como referência o município de Guarulhos que para nós representa, metonimicamente, o processo de expansão no Brasil. Com base no cotejamento de dados e no referencial teórico sobre o tema, sustentamos que esta expansão ocorreu sob forte orientação dos organismos internacionais e com fundamentos do neoliberalismo, materializados na educação superior brasileira a partir da promulgação da Lei de Diretrizes e Bases da Educação. Essa lógica desembocou numa predominância do setor privado na educação que foi fomentado por políticas de incentivo e de financiamento subsidiado, sobretudo nos governos do Partido dos Trabalhadores. Os impactos desse processo se manifestaram nas IES privadas com a adoção de modelos organizacionais oriundos da empresa moderna que, dialogando com os princípios neoliberais, visam a otimização dos recursos e a redução dos custos perseguindo a noção de empresa enxuta. Decorre deste contexto a precarização do trabalho docente.
Arquivo: Acesse aqui o texto completo

Leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *