Mais da metade dos servidores da administração direta dos estados têm curso superior ou pós-graduação

Os estados de Santa Catarina (74,3%), São Paulo (68,4%), Goiás (63,2%), do Paraná (61%), Maranhão (59,3%), de Minas Gerais (58,7%) e de Pernambuco (58%) são os que registram a maior proporção de trabalhadores na administração direta com nível superior e pós-graduação. Do total dos 2.618.369 servidores da administração direta em todos os estados, mais da metade têm nível superior ou pós-graduação (1.401.688).

Os dados foram divulgados no dia 15 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e fazem parte da Pesquisa de Informações Básicas Estaduais (Estadic), que analisa as gestões estaduais em 2012. Na administração indireta, 42,5% do pessoal têm nível superior ou pós- graduação, em um total de 216.908 servidores.

Segundo a pesquisadora da Coordenação de População e Indicadores Sociais e gerente da Estadic, Vânia Maria Pacheco, esses dados estão entre os destaques da pesquisa, que teve a primeira edição divulgada nesta sexta-feira. “A escolaridade chamou atenção. O quantitativo de pessoas com curso superior completo e pós-graduação é bem significativo”, disse.

Para o pesquisador Antônio Carlos Alkmin dos Reis, que também trabalhou no levantamento, o resultado é ainda mais importante se comparado ao nível de escolaridade da população brasileira. “Potencialmente isso seria um indicador de qualidade da gestão. Se o estado contrata mais de 50% de seus funcionários, na média nacional, com nível superior, significa que busca um profissional mais qualificado para exercer as suas tarefas”, disse o pesquisador.

Mas os técnicos destacaram também que esse resultado positivo não necessariamente tem relação direta com a qualidade dos serviços prestados. “O fato de ter um número maior de servidores com nível superior e pós-graduados não necessariamente implica uma melhor gestão. Como, também, o fato de ter um quantitativo maior com pessoas com nível médio não significa ter uma gestão pior”, destacou Vânia Maria Pacheco.

De acordo com a Estadic, os governos estaduais têm 3.128.923 pessoas empregadas nas administrações direta (secretarias e gabinete e assessoramento do governador) e indireta (fundações, empresas públicas e sociedades de economia mista). Desse total, a maior parte trabalha na administração direta (83,7%), com 2.618.369.

Em números absolutos, o estado com o mair número de pessoas ocupadas na administração indireta é São Paulo (478.367). Em seguida, vêm Minas Gerais (299.059), o Paraná (162.402), o Rio Grande do Sul (148.945) e Pernambuco (142.574).

O levantamento dos dados para a Estadic 2013, que será a segunda edição da pesquisa, começará a ser feito em abril, de acordo com Vânia Maria Pacheco. Ela disse que os técnicos precisam de pelo menos seis meses para analisar as informações.

[divide]

Fonte: Agência Brasil
Texto: Cristina Indio do Brasil
Data original da publicação: 15/03/2013

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *