Igualdade não é o mesmo que justiça. Ladislau Dowbor explica a desigualdade social

Imagem: Tony Ruth

A desigualdade social existiu em todas as sociedades humanas, mas por meio do capitalismo e da centralização da propriedade privada dos meios de produção, o problema tem tomado uma dimensão jamais vistas na humanidade. Em entrevista à TVT, o professor da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e economista Ladislau Dowbor afirma que a desigualdade é o problema central do Brasil, já que estamos entre os países mais desiguais do mundo, o que nos leva ao problema da ética na economia.

Para ilustrar a desigualdade social, o professor usa a obra do norte-americano Tony Ruth, que traz quatro imagens ilustrando os conceitos de desigualdade, igualdade, equidade e justiça. Com a árvore torta, as maçãs caem na direção de um dos meninos, mas não do outro. Depois, as duas crianças têm escadas, mas, como a árvore está torta, só um deles alcança as frutas.

“O primeiro quadro mostra a desigualdade e a falta de acesso às oportunidades, que é um problema central no mundo. Já segundo, mostra a igualdade de tratamento, o que não significa ter as mesmas condições”, diz Ladislau.

Nos quadros seguintes, são apresentados os conceitos de equidade e justiça, mostrando que há ferramentas que reduzem as desigualdades. “Isso tem tudo a ver com economia, não podemos fazer como foi feito desde o início da fase do neoliberalismo, e separar economia e ética. Uma economia mais justa é a que funciona”, finaliza o professor.

Assista à entrevista ao Seu Jornal, da TVT:

Fonte: RBA
Data original da publicação: 26/06/2020

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *