Hollande declara “emergência econômica” na França e sugere afrouxar medidas trabalhistas

Em discurso, na segunda-feira (18/01), o presidente da França, François Hollande, declarou “estado de emergência econômica” no país. Ele também afirmou ser o momento para redefinir o modelo social e econômico da França e sugeriu um plano de ação para 2016.

O plano, que tem como intenções principais estimular o crescimento econômico do país e reduzir o desemprego, inclui um investimento estatal de mais de € 2 bilhões (cerca de R$ 8,8 bi). Metade desse valor será utilizado para formar meio milhão de desempregados — atualmente na França o desemprego atinge quase 3,57 milhões de pessoas.

A outra parte será destinada à bonificação de novos contratos de longa duração para empresas com menos de 250 trabalhadores, se salário for 1,3 vezes superior ao salário mínimo.

“Estes dois bilhões de euros serão financiados sem criar novos impostos de nenhum tipo. Em outras palavras, serão financiados pelas economias do governo”, explicou o presidente.

Hollande anunciou também que aumentará para 50.000 os beneficiários dos contratos de profissionalização, são 8.000 mil no momento.

E, apesar de “não colocar em questão” o limite de 35 horas de trabalho por semana, Hollande disse ser urgente atualizar o modelo trabalhista francês para uma economia rápida, globalizada e online. Ele ainda sugeriu afrouxar medidas trabalhistas para estimular contratações, mas sem mencionar quais.

[divide]

Fonte: Opera Mundi
Data original da publicação: 18/01/2016

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *