GM não cede e diz que manterá as demissões em São José dos Campos

Em encontro com representantes dos metalúrgicos de São José dos Campos, na tarde de sexta-feira (10), a General Motors adiantou que não vai rever as demissões feitas na fábrica do interior paulista, admitindo apenas considerar casos de trabalhadores com direito a estabilidade ou em período de pré-aposentadoria. Mesmo assim, fala em ‘substituir’ os estáveis por outros funcionários na ativa.

“Iremos fazer uma redução no número de postos de trabalho, conforme o número de excedentes que temos na região”, disse o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) e diretor da GM, Luiz Moan, após reunião realizada na Superintendência Regional do Trabalho e Emprego. Antes do encontro, sindicalistas fizeram manifestação diante da SRTE, na região central de São Paulo. Estavam na mesa o superintendente, Luiz Antônio de Medeiros, e o secretário estadual do Emprego e Relações do Trabalho, Tadeu Morais, ambos ex-dirigentes metalúrgicos.

“Isso é um absurdo, não pode haver mais demissões. Os trabalhadores com alguma estabilidade sequer poderiam ser demitidos”, disse o secretário-geral do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Luiz Carlos Prates, o Mancha.

A direção da empresa confirma que, somente em dezembro, foram demitidos 687 metalúrgicos. Os dados não incluem os 304 funcionários que aderiram a um plano de demissões voluntárias (PDV). O número de trabalhadores em período de estabilidade ou pré-aposentadoria, entre os dispensados, ainda não foi divulgado.

De acordo com o sindicato da categoria, com a confirmação das demissões em dezembro, o número total de metalúrgicos demitidos em São José dos Campos no ano passado é de 1.690. Até novembro, a unidade estava com aproximadamente 6.200 funcionários.

Na terça-feira (14), às 14h, haverá audiência de conciliação entre as partes no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 15ª Região, em Campinas. Os representantes sindicais querem a anulação de todas as demissões e abertura de negociações.

A diretoria da empresa afirma que o veículo Classic, fabricado até dezembro no setor de Montagem de Veículos Automotores (MVA) em São José, continuará sendo feito em pequena escala nas fábricas de São Caetano do Sul, na região do ABC paulista, e de Rosário, na Argentina.

[divide]

Fonte: Rede Brasil Atual
Texto: Viviane Claudino
Data original da publicação: 10/01/2014

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *