Formação versus produção: a formação e qualificação de jovens para o mundo do trabalho

Autor: Ivon Rodrigues Silva Filho
Orientadora: Rosane Alencar
Ano: 2014
Tipo: Dissertação de Mestrado
Instituição: Universidade Federal de Pernambuco. Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Sociologia. Curso de Mestrado
Repositório: Repositório Institucional da UFPE
Resumo: O presente estudo pretende contribuir para as discussões acerca da relação entre as esferas do Trabalho e da Educação e, especificamente, a formação e qualificação de jovens para o mundo do trabalho, pois essa parcela da população enfrenta inúmeros obstáculos e dificuldades para sua inserção e permanência na esfera produtiva. Seus objetivos foram: a) analisar como funcionam os cursos de qualificação para o desenvolvimento das atividades laborais realizadas pelos jovens no setor de serviços; b) analisar de que forma é apresentada a relação entre a teoria (formação) e a prática (trabalho) nos cursos de qualificação dos jovens e c) investigar qual é o perfil privilegiado pela formação oferecida aos jovens trabalhadores do ramo comercial. O campo de pesquisa foi o Centro de Integração Empresa-Escola de Pernambuco (CIEE-PE), responsável pelo Programa Aprendiz Legal no Estado. Foi realizada observação não participante das aulas teóricas; análise de conteúdo dos materiais didáticos do Programa (Módulos Básico e Específico), da legislação vigente, dentre outros documentos referentes ao trabalho juvenil, e aplicação de questionários aos jovens matriculados nos cursos de aprendizagem em Comércio e varejo, Ocupações administrativas e Práticas bancárias. A análise dos resultados apontou que 1) esses cursos seguem o modelo das competências, paradigma dominante diante das novas necessidades de qualificação exigidas do trabalhador após a reestruturação produtiva, as quais demandam um trabalhador “multifuncional” ou “polivalente”, capaz de lidar com situações-problema; 2) há sintonia entre teoria e prática nos materiais didáticos analisados, porém, na prática, não identificamos tal complementaridade, devido, principalmente, à forma de atuação do(a) Orientador(a) e 3) a formação/qualificação oferecida aos jovens privilegia os conhecimentos básicos gerais decorrentes da escola em detrimento de aspectos prático-operativos (técnicos), como apontados em outros estudos sobre a temática. Diante disso, concluímos que há uma tensão no Programa Aprendiz Legal entre a formação e a produção na qualificação dos jovens trabalhadores, sendo esta última o objetivo maior da qualificação dos jovens trabalhadores, para atender às necessidades do capital, em detrimento do desenvolvimento pleno (omnilateralidade) do indivíduo.
Arquivo: Acesse aqui o texto completo
Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *