Fim da greve: acordo garante readmissão de 747 metalúrgicos da Renault no Paraná

Fotografia: Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba

Metalúrgicos fecham acordo com a Renault para a readmissão dos 747 trabalhadores dispensados pela montadora de sua unidade de São José dos Pinhais, no Paraná. A proposta foi votada de maneira “on-line” pelos trabalhadores e encerra a greve de 21 dias, segundo informações do Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba.

“A reintegração e o fechamento de um acordo que mantém os empregos é uma vitória dos trabalhadores, que mostraram união e mobilização num momento difícil como este. A garantia para manter os empregos tem sido a nossa maior luta atualmente. No final, a mobilização e o diálogo prevaleceram. É o que temos procurado fazer aqui no Paraná”, avalia o presidente do sindicato, Sérgio Butka.

Os trabalhadores readmitidos pelo acordo ficarão em casa, recebendo salário integral até 20 de agosto, quando termina o Plano de Demissão Voluntária (PDV) que foi aberto pela Renault. Se os objetivos de dispensa da montadora não forem alcançados, parte dos trabalhadores ficará de licença, o chamado “lay-off” por cinco meses.

O restante da fábrica volta ao expediente normal neste dia 12 de agosto. Na proposta, há também um pacote salarial que mantém a data-base e uma proposta de Participação nos Lucros e Resultados.

Na última semana, a juíza Sandra Mara de Oliveira Dias, do Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região, anulou as 747 demissões da multinacional Renault. 

Principais pontos do acordo

  • Reintegração dos trabalhadores demitidos.
  • Plano de Demissão Voluntária: vai até o dia 20 de agosto e estabelece indenização de 6 salários nominais independente do tempo de serviço, plano de saúde até 30 de junho de 2021, entre outros pontos.
  • “Lay-off”: caso o PDV não atinja o número de excedentes determinado pela empresa, trabalhadores entrarão em “lay-off”. Farão cursos de qualificação com parte do salário pago pelo Estado e o restante complementado pela empresa  com garantia de 85% do salário líquido do empregado. A duração será de 5 meses, podendo ser prorrogado por mais 3 meses.
  • Pacote de acordo salarial e PLR até 2023
  • Participação nos Lucros e Resultados
  • Acordo para os próximos quatro anos. Caso sejam atingidos 100% das metas, o valor cheio pago poderá chegar à R$ 100 mil até 2023.

Data Base

-2020\2021: O reajuste salarial foi trocado por abono de R$ 2.500,00.

– 2022 e 2023: reajuste pelo INPC (inflação) dos últimos doze meses.

Fonte: Brasil de Fato
Data original da publicação: 12/08/2020

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *