Exposição multimídia itinerante debate as condições de trabalho no Brasil

Exposição multimídia itinerante debate as condições de trabalho no Brasil

Uma exposição multimídia, interativa e itinerante sobre o universo de três categorias de trabalhadores: cortadores de cana-de-açúcar, empregados de frigoríficos e operadores de telemarketing. Esse é o novo projeto coordenado pela Repórter Brasil para sensibilizar o público sobre a necessidade de se debater a qualidade das condições de trabalho no Brasil hoje.

Nesta quarta 12, o projeto “Mundo do Trabalho” foi habilitado para começar a tentar captar, por meio da Lei Rouanet, até R$ 4,9 milhões com a iniciativa privada para a realização da mostra. A exposição e suas atividades paralelas terão entrada gratuita em todas as cidades por onde passar. O projeto não irá captar recursos de empresas estatais.

Exposição itinerante deverá passar por quatro cidades - Arquivo/ Divulgação
Exposição itinerante deverá passar por quatro cidades. Fotografia: Arquivo/Repórter Brasil

À semelhança de outros espaços temáticos, como o Museu do Futebol e o Museu da Língua Portuguesa, ambos instalados em São Paulo (SP), a exposição de artes visuais “Mundo do Trabalho” irá convidar o público a fazer uma profunda reflexão sobre atividades econômicas com as quais os brasileiros lidam diariamente – mas cujas entranhas ainda são pouco conhecidas. O projeto é desenvolvido em parceria com a Tomara! Educação e Cultura, empresa reconhecida pela organização de diversas exposições em todo o país.

Tomando como inspiração as últimas tecnologias para equipamentos culturais, a exposição vai trazer vídeos, fotografias, infográficos – além de instalações que proporcionem interatividade mecânica e digital – para que o visitante se coloque na pele dos trabalhadores retratados. Medidas de acessibilidade para pessoas com deficiência visual, auditiva e física também constam do projeto para garantir acesso amplo e irrestrito.

A mostra será montada em espaços públicos de grande circulação – como praças e parques – com fácil acesso por meio de transporte público de ao menos quatro capitais do país: Manaus, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo. A exposição ocupará uma área de aproximadamente 320 metros quadrados, com containers especialmente customizados para receber as instalações artísticas. Ao final, a exposição será doada ao poder público para que possa ser transformada em espaço de visitação permanente.

Frigoríficos serão outro tema da exposição - Arquivo/Divulgação.
Frigoríficos serão outro tema da exposição. Fotografia: Divulgação/Repórter Brasil

Além da exposição em si, “Mundo do Trabalho” também contará com uma programação cultural paralela para aprofundar o debate sobre os assuntos abordados nas instalações, através de um festival de cinema e de um ciclo de palestras. As atividades serão realizadas em parceria com centros culturais públicos e privados.

Outra importante meta do projeto consiste em construir uma plataforma virtual para reunir em rede artistas, pesquisadores e ativistas que se dedicam à temática da exposição. Assim, além de fomentar a promoção do trabalho decente a partir da intervenção artística e de experiências sensoriais, a mostra também pretende construir um fórum de discussões sobre o assunto, articulando diferentes atores da sociedade.

Os três containers serão customizados para receber as instalações artísticas - Divulgação.
Os três containers serão customizados para receber as instalações artísticas. Fotografia: Divulgação/Repórter Brasil

A inauguração de “Mundo do Trabalho”, coordenada pelo jornalista Carlos Juliano Barros, está prevista para o segundo semestre de 2016 e irá até 2017. Os recursos obtidos serão utilizados integralmente na realização do projeto e não poderão remunerar diretores da organização. As contas serão tornadas públicas no site da exposição para garantir transparência e passarão por auditoria externa independente.

Fonte: Repórter Brasil
Data original da publicação: 13/08/2015

Leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *