EUA: cerca de 1 milhão de desempregados perderão auxílio do governo

Um entrave orçamentário no Congresso dos EUA fará com que cerca de um milhão de desempregados percam benefícios e auxílios do governo a partir do dia 28 de dezembro. Os congressistas não chegaram a um acordo sobre a continuação do “programa de ajuda emergencial aos desempregados”, forçando o encerramento de parte do crédito criado na administração de George W. Bush.

A medida afetará principalmente aqueles que estão há mais de um ano sem fonte de renda. A ajuda federal paga em média cerca de US$1,6 mil dólares para desempregados em zonas de risco social. O projeto foi criado em 2008 como forma de amenizar os impactos da grave crise econômica daquele ano – na ocasião, mais de duas milhões de pessoas perderam o emprego nos EUA.

A partir de 28 de dezembro, o programa será apenas “parcialmente” encerrado, atendendo ainda grande parte dos desempregados norte-americanos. As negociações, no entanto, continuarão a partir de janeiro de 2014 para encontrar uma saída para o imbróglio orçamentário. Sem acordo, outras 3 milhões de pessoas perderão o auxílio até o final de 2014.

O encerramento parcial do programa de auxílio a desempregados é mais um capítulo da batalha orçamentária entre republicanos e democratas. Os dois partidos debatem sobre cortes de gastos públicos em iniciativas de benefício social. Os republicanos exigem menor participação do governo e são contrários ao plano de saúde estendido a população – chamado de Obamacare e principal alvo dos vetos orçamentários no Congresso.

Em outubro, outro entrave no Congresso fez com que o governo fosse paralisado por mais de duas semanas, causando temor do calote da dívida norte-americana. O episódio ficou conhecido como o “shutdown de Washington”.

[divide]

Fonte: Opera Mundi
Texto: Dodô Calixto
Data original da publicação: 21/12/2013

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *