Dia do Trabalho marcado por protestos em todo o Brasil

Da Redação*

O 1° de maio foi marcado por protestos contra o processo de impeachment da presidente Dilma Rousssef. Eventos organizados pelas centras sindicais destacaram “o golpe” contra a democracia. Em Porto Alegre, o movimentos da Frente Brasil Popular e Frente Povo Sem Medo, junto a entidades sociais e de esquerda, promoveram o Ato Unificado das Centrais Sindicais e movimentos sociais no Parque da Redenção, em frente ao Monumento do Expedicionário.

Na capital gaúcha, o ato contou também com a presença do argentino Nobel da Paz, Adolfo Pérez Esquivel. Ele se reuniu com a presidente nesta semana e falou sobre o que chamou de “golpe à democracia” no Senado. Esquivel é ativista de direitos humanos e ganhou o Prêmio Nobel da Paz em 1980. Ele veio ao Brasil a convite do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) para atividades com movimentos populares.

Em São Paulo a presidente esteve no evento organizado pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) no Vale do Anhangabaú, região central da capital paulista. Durante seu discurso, a presidente anunciou reajuste de 9% para os beneficiários do Bolsa Família; correção de 5% da tabela do Imposto de Renda a partir de 2017; contratação de 25 mil moradias do “Minha Casa, Minha Vida Entidades”; proposta de ampliação da licença paternidade para funcionários públicos de 5 para 20 dias; criação do Conselho Nacional do Trabalho; e criação do plano safra da agricultura familiar.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva iria ao evento, no entanto, sua presença foi cancelada pois o petista estava rouco e foi aconselhado a ficar em casa.

Outras cidades

As manifestações também se estenderam por cidades como Belém, Brasília, Maceió, Recife, Belo Horizonte, Juiz de Fora (MG), Campo Grande, Natal, Goiânia, Vitória, Fortaleza, Salvador, Rio de Janeiro, Curitiba, Aracajú, João Pessoa, Cuiabá, Caruaru (PE), Campos dos Goytacazes (RJ), Joinville (SC), Laguna, Chapecó e Blumenau (SC).

A data 1° de maio  é consagrada como o Dia do Trabalhador em homenagem à primeira manifestação de 500 mil trabalhadores nas ruas de Chicago e numa greve geral em todos os Estados Unidos, em 1886. Três anos depois, em 1891, o Congresso Operário Internacional convocou, na França, uma manifestação anual, em homenagem às lutas sindicais de Chicago. A primeira acabou com 10 mortos, em consequência da intervenção policial. Foram os fatos históricos que transformaram o 1 de maio no Dia do Trabalhador. Até 1886, os trabalhadores jamais pensaram exigir os seus direitos, apenas trabalhavam.

*Com informações das Agência Brasil, Agência Globo e Agência Estado de São Paulo e Jornal do Comércio.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *