Demissões se alastram para serviços e comércio nas regiões metropolitanas

As demissões nas seis principais regiões metropolitanas brasileiras, antes concentradas nos setores de indústria e construção, se alastraram para as atividades de serviços e comércio, informou o IBGE na quinta-feira (23/07).

A população ocupada nas seis principais regiões metropolitanas encolheu em 1,3% em junho, na comparação ao mesmo mês do ano passado. Foi a maior queda nessa base de comparação da série histórica, iniciada em 2002. São 298 mil demissões.

“Antes tínhamos um aumento da taxa de desemprego pela maior procura. Agora, estamos vendo dispensas mais acentuadas”, afirma Adriana Araújo Beringuy, técnica do IBGE. “Isso porque temos agora mais setores contribuindo com a redução do emprego”.

O comércio demitiu 95 mil pessoas entre junho de 2014 e de 2015. O contingente de ocupados no comércio encolheu assim em 2,2% nessa comparação.  Indústria e construção continuaram seu processo de demissões iniciado já no ano passado, mas não foram os maiores no mês.

A indústria cortou 20 mil vagas em junho e a construção, 88 mil vagas, informou o IBGE. A taxa de desemprego nas seis principais regiões metropolitanas do País subiu para 6,9% em junho, o maior patamar desde julho de 2010 (6,9%).

O aumento do desemprego tem sido maior, sobretudo, entre a população de 18 a 24 anos. São jovens que se mantiveram fora do mercado no ano passado, apoiados em uma maior renda familiar.

[divide]

Fonte: Jornal O Sul, com Folhapress
Data original da publicação: 23/07/2015

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *