Contra reforma da Previdência, entidades realizam protesto em Brasília

Contra reforma da Previdência, entidades realizam protesto em Brasília
Protestos em todo o país contra o projeto do governo Temer. Fotografia: Rodrigo Zaim/ADMAP

Líderes dos partidos de oposição na Câmara e no Senado organizaram, juntamente com entidades da sociedade civil, um ato na Câmara dos Deputados, na terça-feira (6/02), contra a reforma da Previdência.

Sindicatos, federações, associações, centrais e movimentos populares levaram representantes para o protesto. Também foram realizadas atividades em diversas regiões do país para pressionar os deputados a votarem contra a medida.

As mobilizações contra a reforma da Previdência devem se intensificar a partir desta semana, já que novas mudanças na Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/16 poderão ser apresentadas pelo relator da medida, Arthur Maia (PPS-BA), em breve.

A proposta do Executivo, sob tutela do presidente Michel Temer (MDB), pode entrar em votação no Plenário da Câmara dos Deputados a partir do dia 19.

A partir da mobilização na capital federal, será editada a Carta de Brasília contra a reforma. Será definido também um calendário de luta para todo o mês de fevereiro. O protesto terá transmissão ao vivo pela página do Facebook do PT da Câmara.

Nas primeiras horas desta terça, algumas centrais sindicais vão realizar protestos nos aeroportos com o objetivo de pressionar os deputados federais na hora do embarque para Brasília, para que votem contra essa proposta do governo.

No Rio Grande do Sul, por exemplo, a CUT, Central Única dos Trabalhadores, realizou ato no Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre. A mobilização começou às 4h30  junto ao Monumento do Laçador. De lá, os manifestantes saíram em caminhada até os terminais 1 e 2, levando faixas, cartazes e bandeiras.

A mobilização integra a Jornada Nacional de Luta contra a Reforma da Previdência, definida pelas maiores centrais.

Está previsto para o dia 19 de fevereiro a realização de um Dia Nacional de Luta, com greves, paralisações e atos públicos contra mais esse retrocesso do governo e sua base aliada.

Em todas as atividades foram distribuídos panfletos, esclarecendo a população e denunciando que “essa reforma de Temer representa o fim da aposentadoria para milhões de trabalhadores e trabalhadoras de todo o Brasil”.

Fonte: Justificando, com Brasil de Fato
Data original da publicação: 06/02/2018

Leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *