Boitempo libera curso completo ministrado por Ricardo Antunes

Boitempo libera curso completo ministrado por Ricardo Antunes
Fotografia: TV Boitempo

TV Boitempo acaba de disponibilizar mais um webcurso completo. Em “O privilégio da servidão”, o sociólogo do trabalho Ricardo Antunes conduz uma leitura comentada de seu mais novo livro sobre o novo proletariado de serviços na era digital.

Ao todo são cinco aulas dedicadas a atravessarem, capítulo a capítulo, a leitura dessa densa e explosiva obra sobre o mundo do trabalho hoje: desde a nova morfologia do trabalho no capitalismo contemporâneo, passando pela crise dos sindicatos e das formas de mobilização dos trabalhadores, pelo diagnóstico afiado do cenário político contemporâneo marcado por um violento processo de contrarrevoluções, até chegar nos desafios para uma renovada práxis política socialista emancipatória.

Ao final do curso, incluímos um vídeo bônus em que Antunes comenta o fenômeno em curso da fascistização da sociedade brasileira à luz do processo de precarização de trabalho que assola o Brasil e o mundo hoje. A série pode servir tanto de complemento quanto de convite à leitura da obra.

Clique aqui para se inscrever na TV Boitempo.

Não deixe de se inscrever no nosso canal para receber nossos conteúdos em primeira mão. Com vídeos novos a cada dois dias, a TV Boitempo reúne cursos exclusivos, gravações de debates, palestras e aulas promovidos pela editora, além de reflexões inéditas de nossos autores sobre temas diversos. Com coordenação de Artur Renzo e assistência de Heleni Andrade, a TV Boitempo já ultrapassou o marco de cem mil inscritos, consolidando-se como o maior canal de YouTube de todo o mercado editorial brasileiro.

Bons estudos!

1. Introdução: o privilégio da servidão
Neste vídeo, Ricardo Antunes introduz a perspectiva teórica da obra, contextualiza o projeto do livro e apresenta as principais questões e temas abordados.

2. O novo proletariado da era digital
Defendendo não apenas a vitalidade analítica do conceito de proletariado para compreender a realidade social de hoje, como a urgência política dessa perspectiva teórica, Ricardo Antunes mergulha na questão central da Parte I do livro. A aula descreve os contornos e as complexidades do proletariado em sua nova morfologia na chamada “era digital” em que estamos imersos.

3. Precarização, terceirização e crise nos sindicatos
Nesta terceira aula de seu webcurso na TV Boitempo, o sociólogo do trabalho retira uma das questões centrais da Parte II do livro e coloca-a sob o microscópio: de que forma os processos sociais e econômicos da precarização do trabalho e terceirização dos vínculos empregatícios afeta as capacidades e as formas de resistência dos trabalhadores? É este o cerna da crise no sindicalismo tradicional que Ricardo Antunes aborda neste vídeo.

4. Crise e contrarrevolução no Brasil hoje 

Ricardo Antunes apresenta, nesta aula, seu diagnóstico da conjuntura política brasileira recente. Ele discute aquilo que ele denomina o fim de uma era de conciliações escancarada pela crise global e pelas rebeliões de junho de 2013 e a violenta onda de contrarrevolução preventiva que as seguiu. O conteúdo do vídeo diz respeito à Parte III do livro O privilégio da servidão.

5. Há luz no final do túnel? Socialismo no século XXI

Nesta quinta e última aula, Ricardo Antunes procura responder à difícil mas incontornável pergunta: “Há luz no final do túnel?”. No vídeo, ele discute a urgência e os desafios de reinventar o socialismo no século XXI. O vídeo corresponde ao conteúdo da Parte IV do livro O privilégio da servidão.

6. Bônus: A fascistização política e o mundo do trabalho  

Ricardo Antunes não titubeia em afirmar que a ascensão de um fascismo e a efetivação de uma ditadura militar são ameaças reais no Brasil de hoje. Neste vídeo, gravado durante a campanha eleitoral de 2018, ele analisa esse fenômeno da fascistização da sociedade à luz do processo de precarização de trabalho que assola o Brasil e o mundo hoje. E provoca: “A democracia burguesa tem a aparência da civilidade. Mas quando as coisas vão mal, ela abre as portas do inferno.”

 

Fonte: Blog da Boitempo
Data original da publicação: 12/02/2019

Leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *