Autonomia, cooperação e conhecimento na experiência de trabalho de metalúrgicos da serra gaúcha

Autor: Ivan Livindo de Senna Corrêa
Orientadora: Maria Clara Bueno Fischer
Ano: 2014
Tipo: Tese de Doutorado
Instituição: Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação
Repositório: Lume – Repositório Digital da UFRGS
Resumo: Este estudo tem como objetivo compreender como os trabalhadores organizados em pequenas unidades de produção autônomas do setor metalomecânico da Serra Gaúcha reconstroem autonomia, cooperação e conhecimentos necessários ao trabalho que realizam, num contexto de reestruturação produtiva do capital pós-crise dos anos 1980 no setor. Sendo que: autonomia é a condição dos trabalhadores de criarem as próprias formas de organizar-se para o desenvolvimento do seu trabalho; o conhecimento como a compreensão conceitual ou abstrata do real, fruto da ação e da reflexão em uma determinada realidade; e a cooperação como a forma de um contingente de trabalhadores agirem coordenadamente para modificar a realidade conforme a sua objetivação. Para o desenvolvimento da pesquisa, utilizou-se o método dialético em suas categorias básicas de análise: práxis, totalidade, contradição, mediação, particularidade e singularidade. Para a coleta dos dados empíricos, realizou-se uma observação participante e uma entrevista semiestruturada. A observação participante ocorreu em seis pequenas unidades de produção autônomas localizadas nos municípios de Canela-RS e Caxias do Sul-RS e a entrevista foi efetivada com dez metalúrgicos que trabalham nestas unidades. A análise dos dados foi baseada no referencial teórico do materialismo histórico e dialético com a intenção de situar o trabalho dos sujeitos da pesquisa no contexto da reestruturação produtiva do capital. Identificaram-se os seguintes resultados: a) O trabalho nas pequenas unidades de produção autônomas da Serra Gaúcha guarda semelhanças com o artesão industrial independente e, ao mesmo tempo, com o trabalhador assalariado a domicílio, no que diz respeito à autonomia e ao conhecimento, mediados pelas formas de cooperação na organização do processo de trabalho. O trabalho do artesão industrial independente ganha relevância em função da reprodução ampliada do capital no atual contexto de reestruturação produtiva. Ao mesmo tempo, tal trabalho faz-se importante em função da reprodução ampliada da vida. b) A autonomia construída nas unidades observadas possui diferentes graus de abertura que são variáveis conforme as condições estruturais, culturais e sociais de produção. c) A cooperação, no processo de trabalho, ocorre de forma simples, onde cada trabalhador realiza uma tarefa de seu conhecimento e habilidade que somada às tarefas de outros trabalhadores construirão um produto final, além de construírem formas de cooperação solidária onde incorporam ao processo produtivo relações de companheirismo, ajuda mútua, troca de serviços e relações familiares e comunitárias. d) Os sujeitos da pesquisa destacam os conhecimentos escolares como indispensáveis para o trabalho metalúrgico. e) A produção do conhecimento no setor passa por um processo contínuo de estudo e de prática no cotidiano do trabalho, constituindo, portanto, o conhecimento tácito dos trabalhadores.
Arquivo: Acesse aqui o texto completo
Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *