Anuário destaca redução de mortes no trabalho, mas revela desigualdades

“Entre 2004 e 2014, houve uma redução nos acidentes com morte nas ocupações, caindo de 5,4 para 2,8 casos a cada 100 mil vínculos trabalhistas. Então, há uma condição melhor para o trabalhador. Também houve uma redução no afastamento por doenças ocupacionais”, afirmou na quarta-feira (16/08) o diretor técnico do Dieese, Clemente Ganz Lúcio, em entrevista à Rádio Brasil Atual, ao comentar sobre o Anuário da Saúde do Trabalhador.

Porém, a publicação não apresenta apenas dados positivos, alerta o diretor técnico do Dieese. “Uma das informações importantes que o anuário traz é que temos um contingente de mais de 100 milhões de pessoas ocupadas, mas ainda essas pessoas têm condições de vida muito desiguais. Há regiões onde o acesso ao tratamento de esgoto é muito baixo, especialmente, no Norte e Nordeste, onde 60% da população não tem esse acesso.”

Lançado em julho, o anuário traça uma radiografia dos diferentes impactos sobre a vida do trabalhador, em relação à condição de trabalho e a saúde, entre os anos de 2004 e 2014. A publicação é do Dieese e tem colaboração do Ministério do Trabalho e de diversas centrais sindicais.

[gap]

Fonte: Rede Brasil Atual
Data original da publicação: 16/08/2016

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *