06/09/2017 a 09/09/2017 – XV Encontro Nacional da ABET: Crise política, crise econômica e os desafios para o trabalho

Crise política, crise econômica e os desafios para o trabalho é o tema central do XV Encontro Nacional da ABET a realizar-se de 6 a 9 de setembro de 2017 na cidade do Rio de Janeiro (RJ), na UFRJ.

O Brasil tem sido palco nos últimos dois anos de um processo agudo de crise política e de crise econômica que estão desembocando em um ataque sistemático aos direitos dos trabalhadores garantidos pela Consolidação das Leis do Trabalho, pela Constituição de 1988 e pelas políticas compensatórias implementadas pelos governos de Lula da Silva e Dilma Rousseff. Processos semelhantes também vêm acontecendo em outros países da América Latina onde situações de modificação parlamentar dos resultados eleitorais e reformas econômicas regressivas do ponto de vista dos trabalhadores estão em curso. Ademais, cresce a presença, nos principais países do centro do capitalismo, de grupos de extrema direita voltados, principalmente, contra imigrantes; e recrudescem as políticas neoliberais. Quais são os impactos dessa conjuntura sobre os trabalhadores brasileiros? Como ela afeta a relação entre eles e suas lutas por direitos, pela defesa de uma relação menos ou não predatória com o meio ambiente? Como se organizam homens e mulheres, negros e negras, a comunidade LGBT na sua vida laborativa? Que impactos essa conjuntura traz especificamente sobre os locais de trabalho e as relações produtivas e hierárquicas que nele se estabelecem?

O XV Encontro Nacional da ABET pretende discutir em suas conferências, mesas redondas e grupos de trabalho essas e outras questões que mobilizam os pesquisadores do trabalho. O encontro de 2017 busca, assim como os outros que o precederam, um debate inter e multidisciplinar, articulando as investigações das diversas áreas de pesquisa cuja temática se relacione ao trabalho na sociedade contemporânea.

Mais informações sobre como participar, apresentar trabalhos e pôsteres podem ser encontradas aqui.

[gap]

Fonte: Associação Brasileira de Estudos do Trabalho

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *